Notícias da Igreja

Dom Urbano José Allgayer: faleceu o bispo emérito de Passo Fundo (RS)

A assessoria de comunicação da arquidiocese de Passo Fundo (RJ) enviou na noite desta terça-feira, 14 de maio, a notícia do falecimento do seu bispo emérito, dom Urbano José Allgayer.

Quase 70 de sacerdócio: dom Urbano José Allgayer faleceu no fim da tarde desta terça-feira, aos 95 anos. O bispo emérito de Passo Fundo completaria 70 anos de ordenação sacerdotal no próximo ano. A Arquidiocese de Passo Fundo lamenta a perda.

O velório acontece a partir das 07h30, na Catedral Metropolitana de Passo Fundo e as Celebrações das Exéquias acontecem às 12h e às 16h, também na Catedral.

Vida

Filho de José Francisco e Florentina Emília Allgayer, dom Urbano nasceu no dia 16 de março de 1924, em Lajeado, no Rio Grande do Sul, e teve uma vida inteira dedicada à Igreja. Ingressou no Seminário Menor de São Leopoldo, em 19365, para concluir os estudos do Ensino Fundamental e, em 1938, no Seminário Menor São José, em Gravataí, para cursar o Ensino Médio – ginasial, na época. Cursou Filosofia e Teologia no Seminário Central de Nossa Senhora da Conceição, também em São Leopoldo. Além disso, obteve a graduação em Filosofia também pela Unisinos e, em 1983, esteve em Roma, na Pontifícia Universidade Gregoriana, para o curso de atualização sobre o Novo Direito Canônico.

Vocação

A vocação, para dom Urbano, surgiu em meio à vivência na Igreja. Quando criança, foi coroinha e madrugava para conseguir ajudar nas celebrações. Também participou da Infância Missionária e no Seminário encontrou-se com o que o seu coração desejava: “Entrei no Seminário para poder pregar, celebrar a missa, quando padre”, comentou em entrevista para dom Ercílio Simon para o livro “Nossos padres, nossos heróis”, editado em 2010. Ordenado padre em 10 de dezembro de 1950, Urbano Allgayer escolheu, como lema vocacional, “Por Maria Medianeira, ofereço a Jesus o meu sacerdócio”. No mesmo livro, explicou a escolha: “Padre Inácio Valle me inspirou no amor a Nossa Senhora Medianeira. ‘A Jesus, por Maria’. Aluno de padre jesuítas, sempre fui congregado mariano, como seminarista e como sacerdote”.

A vivência no sacerdócio o levou à ordenação episcopal em 24 de março de 1974, na Catedral Metropolitana de Porto Alegre. O seu lema episcopal – “Conservar a unidade do Espírito” – indicava como seria o seu ministério. Foi nomeado bispo auxiliar em Porto Alegre e lá atuou durante oito anos. Nomeado pelo papa João Paulo II, no dia 10 de fevereiro de 1982, como bispo da então Diocese de Passo Fundo, dom Urbano tomou posse no dia 04 de abril do mesmo ano e tornou-se bispo emérito 17 anos depois, em 1999, entregando a direção da Diocese a dom Ercílio Simon – que, hoje, é arcebispo emérito.

Busca pela nova evangelização

Sua atuação esteve ligada, durante muito tempo, à Pastoral Familiar, Pastoral Indigenista, Pastoral Juvenil e, também, ao Tribunal Eclesiástico. No mesmo livro “Nossos padres, nossos heróis”, dom Urbano destacou a necessidade de uma nova evangelização a partir dos jovens. “É necessária uma nova evangelização, pela palavra, pelos sacramentos e pelo testemunho. Precisamos reconquistar os jovens para a vivência cristã. Devemos formar líderes juvenis”.

Também vivenciou seu ministério como Secretário do Regional Sul 3 da CNBB, como professor de Ética e História da Igreja na PUCRS, como fundador do Itepa – Instituto de Teologia e Pastoral de Passo Fundo – e, também, como autor dos livros Compêndio de Moral Católica (PUC), o Dízimo Hoje, Administração Paroquial e Diocesana e Crônicas Selecionadas.

Mensagem de pesar da CNBB

Dom Joel Portella Amado, secretário-geral da CNBB, enviou mensagem de pesar a dom Rodolfo Weber, arcebispo de Passo Fundo (RS).

Nota de pesar da CNBB pelo falecimento de Dom Urbano José Allgayer

Prezado Irmão, dom Rodolfo Weber.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebeu, com pesar, a notícia do falecimento de dom Urbano José Allgayer, bispo emérito de Passo Fundo (RS) ocorrido na tarde desta terça-feira, 14 de maio.

Nossa Conferência se une ao senhor para agradecer a Deus a imensa riqueza de dons oferecida à Igreja pela vida e testemunho de dom Allgayer. Elevamos nossos corações para louvar e bendizer o Senhor que nos concedeu a graça de uma convivência fraterna com um bispo cheio de amor pelo seu clero e suas comunidades.

Recorremos às palavras do Apóstolo Paulo para nos despedirmos do bispo falecido num hino de reconhecimento de sua vida doada: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Desde agora, está reservado para mim o prêmio da justiça que o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia, não somente a mim, mas a todos os que tiverem esperado  com amor a sua manifestação” (2Tm 4, 7-8).

O lema episcopal de dom Allgayer, “Conservar a unidade do Espírito”, foi seu itinerário de vida e que serve para todos nós que acreditamos em Jesus Cristo e nos consagramos ao anúncio do Evangelho.

Enviamos o nosso abraço ao senhor e pedimos que leve os sentimentos de estima  e conforto fraterno também aos familiares de dom Allgayer, ao clero de sua arquidiocese e aos irmãos e irmãs das comunidades de sua Igreja Particular. Conte com nossas orações.

Em Cristo,

 

Dom Joel Portella Amado

Bispo Auxiliar de São Sebastião do Rio de Janeiro – RJ

Secretário-Geral da CNBB