Notícias da Paróquia

Paróquia Nossa Senhora da Penha celebra novena e festa de sua padroeira

Entre os dias 10 e 19 de maio,  a Paróquia Nossa Senhora da Penha, em Itabira, celebrou a novena e festa em honra a sua  padroeira.

Com muita fé, durante toda a novena, a Paróquia que é administrada pelo Pe. Ueliton Neves da Silva, recebeu os padres Marcio Soares, Marco José, Ronaldo Tôrre, Elinei Gomes, Sérgio Henrique e Márcio  Martins, CICM. Este último celebrou na ocasião seu aniversário de ordenação sacerdotal.

O tema abordado foi “fazei tudo que ele vos disser…” (Jo 2,5), referente ao evangelho das bodas de Caná.  As seis talhas que o evangelho cita foram nomeadas como talhas do AMOR, PERDÃO, UNIAO, CARIDADE, PAZe da ALEGRIA,  uma para cada dia, onde se pode refletir sobre qual talha de nossa vida ainda falta água para que Jesus  possa realizar o milagre e fazer de cada uma de nossas mazelas um vinho novo, da melhor qualidade nunca antes provado.

A cada dia uma talha era enchida por um leigo, devoto de Nossa Senhora. Esta figuração  pode mostrar a todos que sempre é possível enchermos nossa talha vazia. Estes momentos de enchimento das talhas comoveram muitos fiéis presentes na igreja.

No último dia da novena, tivemos a presença  do nosso bispo diocesano, Dom Marco Aurélio, que refletiu sobre a sétima talha, talha que o evangelho não cita. Esta talha é o próprio Jesus Cristo, o verdadeiro altar de Deus, nomeada como “Jesus, a talha do Pai”. Neste dia, cada fiel recebeu um frasco vazio com a seguinte mensagem:

“Este frasco está vazio para que todos os dias ao olhar para ele, possamos nos lembrar que temos que ‘encher as talhas d’agua’ , fazer tudo que ELE nos Disser é fazer tudo que estiver ao nosso alcance sem medir esforços do caminho até a fonte. e se este caminho estiver muito tribulado, possamos lembrar que Maria sempre pedirá a Jesus um milagre em nossa vida, mas ainda sim precisamos manter sempre a água preparada para se transformar em vinho”.

A fé do povo de Deus da Paróquia foi manifesta em uma linda carreata que saiu da comunidade  Sagrado Coração de Jesus, no bairro Praia, percorrendo algumas ruas de nossa cidade. Contamos com a presença dos seminaristas que fazem pastoral na Paróquia, Marcos  e Lucas, e dos seminaristas doSeminário  Propedêutico (Pedro, Markes, Alexandre, Arthur e Wellington), cujo o Pe. Ueliton é professor. A carreata teve como destino o Santuário São Geraldo Majela, onde aconteceu um momento mariano, preparado peloMovimento das Mães que oram pelos filhos e, em seguida, procissão luminosa, com a participação da Coorporação Musical Santa Cecília, em direção  à Igreja Matriz, passando  pelas ruas da comunidade que, numa demonstração de fé e carinho,foram todas enfeitadas pelos respectivos moradores (pintaram o meio fio, muros,enfeitaram as portas de suas casas com velas, toalhas etc). Bandeirolas foram estendidas pela rua José Hilário, rua da Igreja Matriz. Ao chegar na Igreja Matriz, uma queima de fogos iluminou os céus homenageando a Virgem da Penha.

A missa solene foi presidida pelo Pe. Ueliton Neves da Silva, administrador paroquial da Paróquia, que começou no lado externo da Igreja Matriz, mas que, devido a chuva, teve que continuar no interior da Igreja Matriz. Palavras não descrevem as bênçãos  e libertações vividas nestes dias… a chuva da festa só fez com que mais talhas fossem cheias.

Em sua homilia, assim dissePe. Ueliton:

“Celebrar essa festa é abrir-se para duas dimensões que nos enobrecem como humanos: de um lado o reconhecimento e a gratidão, de outro o nosso comprometimento pessoal. A Santa Igreja nos ensina a reconhecer em Maria a primeira Para este dia proclamamos o Evangelho das Bodas de Caná. Nesta passagem evidencia-se o aspecto mariano que nos é mais caro: a sua intercessão. A festa simboliza a vida e os noivos colocados em apuros representam a própria humanidade. Se Jesus é o mais ilustre convidado à festa que é vida, garantindo-lhe a benção da alegria é Maria quem, atentamente, intercede por nós, atenta às nossas mais íntimas necessidades. Não garante apenas que as talhas estejam cheias de vinho, mas pela presença de seu filho faz com que o vinho seja o melhor de todos. Ao celebrarmos a festa de Nossa Senhora da Penha, nossa padroeira, possamos dirigir o nosso olhar filial para ela. Possamos, também, na escola de Maria, nos convencer da importância de nossa participação na vida de nossas comunidades. A festa de Caná, que é a festa de nossa própria vida, só poderá acontecer em nossas comunidades se formos, a exemplo de Maria, Discípulos e Missionários de Jesus.Fazer tudo o que Jesus nos pediu é acreditar como os discípulos que nele creram. Crer é abrir-se à Palavra que se tornou humana em Jesus (João 1,14), é acolher o seu amor e corresponder com ele como pessoas recriadas no serviço à vida.”

Pe. Ueliton, em seu agradecimento no final da santa missa disse: “Celebrar é agradecer. Rendo graças a Deus por tantos dons e benefícios operados na vida da nossa Paróquia. Vivemos dias marcantes, intensos, cheios de desafios e alegrias, com muito trabalho e dedicação. Todos juntos empenhados num mesmo ideal deram demonstração pública de uma comunidade de fé viva, vibrante e que busca a unidade. Que esse agradecimento chegue a todos aqueles que trabalharam de forma direta e indireta. Agradeço a TODAS AS EQUIPES DE TRABALHO, sem exceção nem ordem de importância… nosso trabalho se completa, e favorece o crescimento da nossa FAMÍLIA CRISTÃ.”

Carla Emanoele Labiapari Nascimento

EVENTOS

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2018› »