Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 21 de janeiro de 2022         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 21 de janeiro de 2022

Ato marca o centenário de dom Paulo Evaristo Arns e os 73 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

10/12/2021 . Notícias da Igreja

No próximo dia 10 de Dezembro, data em que se celebra pela 73ª vez a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Frente Inter-Religiosa Dom Paulo Evaristo Arns, em parceria com a Comissão Justiça e Paz de São Paulo e demais entidades, realiza ato para reforçar a importância e a urgência do respeito aos direitos e ao humano, no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns.

O ato, aberto a todas as pessoas, religiosas ou não, de todos os gêneros, cores, idades, etnias, nacionalidades, condições sócio-econômicas, profissões, opções políticas, também será uma homenagem aos 100 anos de nascimento de Dom Paulo Evaristo Arns.

O que é a Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos surgiu após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, quando um grupo de  50 autoridades de nações diferentes tentou selar a paz e encontrar caminhos para evitar novos conflitos, destruições e genocídios de populações.

Os Direitos Humanos, atribuídos a todas as pessoas do mundo simplesmente por pertencerem à espécie humana, no Brasil foram incorporados à Constituição de 1988 graças a uma campanha que teve como principal líder Dom Paulo Evaristo Arns. Dom Paulo faz falta, mas seus ensinamentos permanecem presentes e nos inspirando.

Três anos depois, em 1948, um documento foi elaborado por uma comissão especial formada por diversos agentes para transferir essa mobilização para o papel. Nascia assim a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), que marcou a primeira vez que se reuniu valores e princípios fundamentais para alcançar a garantia dos direitos humanos em todos os países.

Homenagens

No ato, que traz a marca da união e solidariedade através do fundamento inter-religioso, serão prestadas homenagens às vítimas do covid-19, especialmente às crianças e jovens órfãos pelo vírus, assim como a importantes defensores dos direitos humanos que morreram durante a pandemia. Esta homenagem estará simbolizada no plantio de uma árvore dedicada a Sergio Storch, integrante da Frente Inter-Religiosa falecido devido ao covid, e nos panfletos bordados por integrantes das Linhas de Sampa.

Na programação, passado, presente e futuro (simbolizado pelas crianças da Pastoral) se unem na celebração inter-religiosa e na leitura dos artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A abertura do ato será realizada pelas crianças da Pastoral da Criança, fundada pela doutora Zilda Arns, irmã do Cardeal, e que tem como missão a defesa da vida e dos direitos das crianças e dos humanos no seu todo.

Na data também acontecerá o lançamento da campanha para criação do Memorial em Homenagem às Vítimas do covid-19 no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. O texto de adesão poderá ser assinado no local.

Dom Paulo Evaristo Arns

Nascido em 1921 e falecido em 2016, dom Paulo, religioso franciscano, arcebispo e cardeal de São Paulo, se dedicou principalmente aos habitantes da periferia, aos trabalhadores, à formação de comunidades eclesiais de base e à defesa e promoção dos direitos humanos. Sempre esteve ao lado dos perseguidos e dos marginalizados. Era defensor da vida e da dignidade humana. Dom Paulo escreveu 56 livros e recebeu mais de uma centena de títulos nacionais e internacionais. Com posições firmes, trazia sempre a esperança em seus discursos. Como Dom Paulo costumava repetir: “Coragem! Esperança sempre!”

Frente inter-religiosa dom Paulo Evaristo Arns

Inspirados pelo exemplo dado no culto ecumênico por Vladimir Herzog, vítima dos torturadores do DOI-CODI, foi criada a Frente Inter-religiosa por Justiça e Paz, que tem Dom Paulo Evaristo Arns como patrono. O  movimento, que conta com religiosos, juristas, designers, artistas, cineastas, jornalistas e profissionais de diversas áreas, tem por objetivo inspirar as lutas por direitos para todos, e contra todas as formas de violência.

Memorial em homenagem às vítimas da Covid-19

A Comissão Justiça e Paz de São Paulo lança campanha de adesão à instalação de Memorial às vítimas da Covid no Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. O Memorial também prestará homenagem às instituições de saúde e científicas que evitaram um número ainda maior de vítimas, bem como os profissionais que heroicamente arriscaram suas vidas para garantir o Direito Humano à Saúde para a maioria da população.

Em consulta preliminar, a ideia já recebeu a adesão de entidades como Comissão Arns, Comissão Brasileira Justiça e Paz, Frente Inter-religiosa Dom Paulo Evaristo Arns, e de personalidades como Margarida Genevois, José Gregori, José Carlos Dias, Paulo Sérgio Pinheiro, Belisário Santos Júnior, Fábio Konder Comparato, Silvia Steiner, Maria Victoria Benevides e Dom Odilo Scherer.

Sobre o evento, anote na agenda:
Dia: 10 de Dezembro de 2021
Horário: 10h
Local: Parque da Juventude Dom Paulo Evaristo Arns. Av. Cruzeiro do Sul, 2630.
Metrô Carandiru. O evento também será transmitido pelos canais da Internet.

*Em respeito aos protocolos de segurança contra a COVID-19, use máscaras, álcool em gel e evite aglomerações.

CNBB