Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 20 de abril de 2021         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 20 de abril de 2021

Espanha: clero e seminaristas chamados a crescer na coragem, humildade e discrição, à imagem de São José

16/03/2021 . Notícias da Igreja

O Seminário, tempo de formação inicial dos futuros sacerdotes, deve ser o lugar onde aprendemos o significado do sacrifício de José e nos educamos na entrega total que implica viver nossa paternidade pessoal como testemunho da única paternidade divina, garante da humanidade do homem”, diz a mensagem do episcopado.

“Devemos confiar com especial intensidade na intercessão de São José, que enfrentou as dificuldades da vida com a humildade, a inteligência e a coragem”. É o que afirma a Comissão para o Clero e os Seminários da Conferência Episcopal espanhola (CEE) na mensagem por ocasião da festa de São José, padroeiro dos Seminários e modelo dos sacerdotes, que este ano adquire uma especial relevância em função da decisão do Papa Francisco de dedicar a ele um Ano Jubilar com a sua Carta Apostólica Patris corde. Mas também, devido às circunstâncias “tão atípicas” que a humanidade está enfrentando devido à pandemia de Covid-19, especialmente os setores mais pobres.

“Nestes momentos, a procura por consolo e orientação que se aninha no coração de cada filho da família humana, converte-se em um clamor que ressoa no coração da Igreja Mãe e que nós, como sacerdotes e vocacionados, temos a missão de elevar a Deus em nossa oração litúrgica e pessoal”, lê-se na mensagem.

São José, modelo para a formação nos Seminários

A CEE centra a mensagem nos seminários que deveriam ter São José como modelo “para continuar aprendendo com sua pedagogia”. E assim como na casa de Nazaré, onde Maria gerou em seu ventre o Filho de Deus e José o educou paternalmente, o seminário – explicam os bispos – é a “casa onde é gestada e educada a missão dos futuros presbíteros”, em outras palavras, são “presbíteros em gestação.” Esta pedagogia de São José é destacada na mensagem à luz de três características, entre elas, a da missão evangelizadora.

“Os futuros sacerdotes, apóstolos de Jesus, com coração misericordioso, devem entrar no coração das casas, estar próximos das pessoas, dos sofrimentos e das alegrias do Povo de Deus, para consolar e restabelecer relações de liberdade e de amor que edificam o Igreja, evitando e curando o mal de nosso tempo caracterizado por um retrocesso ao individualismo, que impede a transmissão do Evangelho”, afirma a mensagem.

Sacerdotes, representantes do Pai celestial entre os homens

Ao meditar sobre a educação e a renovação interior da vocação, a mensagem da Comissão Episcopal para o Clero e os Seminários explica que São José assume, em primeiro lugar, a missão de atuar como representante da paternidade de Deus. Nesse sentido, recorda que para os sacerdotes “ser pais deve significar representar o Pai celestial entre os homens, adotando-os como filhos e dando-lhes a firmeza que provém da fé no Pai”.

“O Seminário, tempo de formação inicial dos futuros sacerdotes, deve ser o lugar onde aprendemos o significado do sacrifício de José e nos educamos na entrega total que implica viver nossa paternidade pessoal como testemunho da única paternidade divina, garante da humanidade do homem”, reitera a mensagem.

As qualidades vocacionais heroicas

Coragem, humildade e discrição são as “qualidades vocacionais heroicas” que São José desenvolve para proteger a vida de Maria e do futuro Messias em um ambiente hostil, qualidades que os sacerdotes – explicam os bispos – também devem discernir ao empreender caminhos pastorais, e fugir dos perigos ocultos na “mundanidade espiritual”, como a chama o Santo Padre. Neste contexto, o seminário deve ser uma escola de formação inicial que ensina a “arte do discernimento e da humildade, aprofundando o sentido último das coisas”, diz a mensagem, “sem deixar morrer a paixão missionária nem se deixar instalar em uma vida individualista, acomodada e apegada ao presente”.

“Quando estamos sofrendo a dor e o cansaço da pandemia, ante a tentação de cair no desânimo e na desesperança em nossa vocação sacerdotal e em nossa entrega pastoral, se faz urgente a reconstrução do tecido eclesial evangelizador e a proximidade de todos”, afirma o documento.

Neste sentido, o chamado ao clero e aos seminaristas para contarem com a intercessão de Maria “mãe da esperança” e permitirem que José seja o “pai da memória espiritual” e o exemplo de entrega ao próximo.

Vatican News Service – ATD

Aline Tuffani – Vatican News