Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 25 de setembro de 2021         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 25 de setembro de 2021

EUA, reações da Igreja estadunidense ao ataque contra o Congresso Nacional

07/01/2021 . Notícias da Igreja

O número de mortos agrava-se após os confrontos deste 6 de janeiro durante o ataque ao Congresso dos EUA por apoiadores de Donald Trump. O presidente que deixa o cargo interveio ontem com um vídeo no qual ele reiterou a acusação de eleições fraudulentas, convidando seus seguidores a “voltarem para casa”. Entretanto, há uma condenação unânime das cenas de violência sem precedentes no Capitólio dos EUA.

Antonella Palermo, Silvonei José

Uma situação sem precedentes em Washington, onde nesta quarta-feira (06/01) grupos de manifestantes pró-Trump invadiram, alguns armados, o complexo do Capitólio, onde o Congresso se reunia para certificar a eleição de Joe Biden. Senadores e deputados foram evacuados da câmara depois de receberem dos agentes de segurança a ordem de usar máscaras de gás. Os manifestantes tentaram invadir a Câmara dos Deputados e a situação ficou fora de controle. Os eventos abalaram a opinião mundial. Além da mulher morta por tiros disparados por um agente do Capitólio, outras três pessoas perderam a vida. Treze pessoas ficaram feridas e 52 foram presas. Entretanto, a prefeita de Washington prorrogou o estado de emergência pública por mais duas semanas, até o dia seguinte à posse de Joe Biden; um evento para o qual se temem novas fortes tensões. Depois que a Câmara e o Senado rejeitaram a primeira objeção sobre a votação no Arizona, o Congresso reuniu-se sob a presidência de Mike Pence para examinar as certificações de votação Estado por Estado. Enquanto isso, aumentam as demissões: da porta-voz de Melania Trump à vice-porta-voz da Casa Branca. Enquanto críticas chegam de todos os líderes europeus: de Macron a Von der Leyen e Johnson. “O assalto ao Capitólio é uma página escura que ficará na memória”, disse o presidente do Parlamento da União Européia, Davide Sassoli.

Ouça e compartilhe:


A voz dos bispos estadunidenses

Em Los Angeles, o presidente da Conferência dos Bispos dos EUA, dom José Horacio Gómez, uniu-se às vozes de condenação à violência: “isso não é o que somos como estadunidenses, onde a transição pacífica do poder é um dos sinais distintivos”, disse ele, confiando-se a Nossa Senhora para que guie todos no caminho da sabedoria e de um patriotismo saudável e autêntico. “Precisamos parar e rezar pela paz neste momento crítico”, disse o cardeal Wilton Gregory, arcebispo de Washington, falando sobre o assalto ao Congresso dos EUA. “O tom de divisão que recentemente dominou nossas conversas deve mudar”, repreendeu ele, “e aqueles que recorrem à retórica incendiária devem assumir a responsabilidade de incitar à crescente violência em nossa nação”. Ele pediu para honrar o lugar, que ele chama de “solo sagrado”, onde as leis e políticas da nação estadunidense são debatidas e decididas. O cardeal rezou pela segurança das pessoas eleitas, dos funcionários, dos trabalhadores, dos manifestantes e das forças de segurança. “Há feridos e danos ingentes – admitiu ele -, chamando todos à cooperação, ao respeito dos valores democráticos e do bem comum”.

O arcebispo de Chicago, cardeal Blase Joseph Cupich, em uma série de tuítes falou de “vergonha nacional”, comentando o ocorrido: “que o amor de Deus recorde a todos os estadunidenses que a política é a resolução pacífica de pontos de vista opostos. Esta é nossa tradição como nação democrática, e nós a minamos por nossa conta e risco”. Ele também apela às pessoas eleitas “que escutem os conselhos de seus anjos melhores para defender a Constituição que juraram defender”. E ainda: “a violência a serviço de uma falsidade é pior”. “Por muitos meses temos testemunhado a erosão deliberada das normas do nosso sistema de governo”. Enquanto defende o protesto pacífico, que ele diz ser um direito sagrado, reitera que os eventos no Capitólio devem “chocar a consciência de cada patriótico estadunidense e de cada fiel católico”.

Comentário de Pax Christi

Também Johnny Zokovitch, diretor executivo da Pax Christi EUA, não usa meios termos para definir os eventos no Capitólio durante a contagem dos votos do Colégio Eleitoral. Ele chama os eventos de “resultado da demagogia de um homem, o presidente Trump, e o fracasso de todos aqueles – políticos, mídia, família e outros ainda – que desculparam, ignoraram, dispensaram ou encorajaram a odiosa e divisionista retórica que definiu o mandato deste presidente”. Pax Christi também ressalta que “aqueles que poderiam e deveriam ter responsabilizado este presidente fizeram exatamente o contrário nos últimos quatro anos, e os incidentes feios e vergonhosos no Capitólio dos EUA são o resultado triste e previsível desta abdicação de responsabilidade”.

Fonte: Vatican News
Foto: Ataque ao Congresso dos EUA   (ANSA)