Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 25 de setembro de 2021         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 25 de setembro de 2021

PALAVRA DO PÁROCO Pe. Ueliton Neves da Silva MÊS DE fevereiro  .  2021
TODAS AS PALAVRAS DO PÁROCO

Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor

01/02/2021 . Palavra do Pároco

Irmãos e irmãs, alegria e paz.

Deus nos dá a graça de vivenciarmos um novo mês e de darmos continuidade a nossa caminhada pastoral e missionária em nossa Igreja.

Logo no início do mês celebramos a Festa da Apresentação, festa de encontro, de alegria! Ana e Zacarias nos ensinam que a espera do Senhor nunca é infrutífera pois Ele vem sempre, para nos iluminar, para nos salvar, para nos alegrar, como Bom Pastor

No dia 03 iremos celebrar a memória de São Brás, bispo e mártir da Igreja. Ele que viveu no final do terceiro século, é venerado como o santo protetor da garganta. Vamos rezar com a Igreja que por sua intercessão o Senhor nos livre sempre do mal que possa atentar contra nossa garganta e de qualquer outra doença. Também iremos celebrar Nossa Senhora de Lourdes, dia 11, padroeira dos enfermos e justamente por isso a Igreja faz dessa data, o Dia Mundial dos Enfermos. Rezemos pelos nossos doentes! Que Nosso Senhor dê saúde à todos!

Na Quarta-feira de Cinzas, dia 17, iniciaremos o Tempo da Quaresma e entregando-nos à oração, ao jejum e à caridade, possamos nos dispor à plena celebração do mistério pascal. Nesse dia procede-se a abertura nacional da campanha da Fraternidade, que este ano tem sua dimensão ecumênica. Ela é um modo privilegiado pela qual a Igreja no Brasil vivencia a Quaresma. Em nossa Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano, a abertura, como de costume, acontecerá, em cada uma das três regiões pastorais, no primeiro domingo da Quaresma. Este ano, devido a pandemia, a abertura da Campanha da Fraternidade acontecerá de forma mais restrita, com a participação de representações pastorais e comunitárias de cada região pastoral.

Neste ano somos convidados a olhar de modo mais atento para a vida com o tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”; e o lema: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2,14)

A Campanha da Fraternidade deste ano é a 5º Campanha a ser trabalhada na Dimensão Ecumênica. Com sua abertura na entrada do Tempo Quaresmal e sua Coleta marcada para o Domingo de Ramos, 28 de março, somos chamados a viver e a promover a dimensão do Diálogo, como método a derrubar as barreiras da divisão, fortalecendo a unidade. Através do diálogo amoroso e do testemunho da unidade na diversidade, inspirados no amor de Cristo, somos convocados a pensar, avaliar e identificar caminhos para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual. Como objetivos da CF 2021, sentimo-nos comprometidos a denunciar as violências contra pessoas, povos e a Criação, em especial, as que usam o nome de Jesus; encorajar a justiça para a restauração da dignidade das pessoas, para a superação de conflitos e para alcançar a reconciliação social; animar o engajamento em ações concretas de amor à pessoa próxima; promover a conversão para a cultura do amor em lugar da cultura do ódio e fortalecer e celebrar a convivência ecumênica e inter-religiosa.

Este tempo sagrado da Quaresma é marcado por alguns sinais especiais nas celebrações da Igreja: A cor da liturgia é o roxo – sinal de sobriedade, penitência e conversão; não se canta o Glória nas missas (exceto nas solenidades e festas, quando houver); não se canta o aleluia que, sinal de alegria e júbilo, somente será cantado outra vez na Páscoa da Ressurreição; os cantos da Missa devem ter uma melodia simples e os instrumentos musicais sejam sóbrios, expressando exatamente o que se celebra neste tempo litúrgico; não se usa flores nos altares, em sinal de despojamento e penitência e as imagens sejam cobertas com tecido roxo, na semana das dores.

O importante é que todas estas práticas nos levem a uma preparação séria e empenhada para o essencial: a Páscoa! A observância das práticas quaresmais não são atos folclóricas, mas instrumentos para nos fazer crescer no processo de conversão que nos leva ao conhecimento espiritual e ao amor de Cristo. Tenhamos em vista que o ponto alto do caminho quaresmal é a renovação das promessas batismais na Santa Vigília pascal e a celebração da Eucaristia de Páscoa nesta mesma Noite Santa.

Que todos possam ter uma intensa vivência quaresmal, para celebrarmos na alegria espiritual a santa Páscoa do Senhor!

Pe. Ueliton Neves da Silva
Pároco