Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 25 de setembro de 2021         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 25 de setembro de 2021

Pentecostes em Jerusalém: em oração para pedir os dons do Espírito Santo

26/05/2021 . Notícias da Igreja

Neste fim de semana, para a Solenidade de Pentecostes, o canto do Veni Creator ressoou várias vezes em Jerusalém: da Basílica de Santo Stefano, onde se rezou para pedir os dons do Espírito Santo e pela paz, à São Salvador, à igreja da Dormição até o Cenáculo.

Lurdinha Nunes, Miriam Bianchi, Danúbia Gleisser, George Jaraiseh – Jerusalém

Neste fim de semana, por ocasião da Solenidade de Pentecostes, o canto do Veni Creator ressoou várias vezes em Jerusalém.

A vigília de Pentecostes começou na Basílica de Santo Estêvão, dos Padres Dominicanos, com a oração especial para pedir os dons do Espírito Santo e a intercessão pela justiça e pela paz.

O Patriarcado Latino de Jerusalém, em colaboração com a Comissão Episcopal dos Religiosos da Terra Santa, havia convidado todos os fiéis, bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas e todos os consagrados para rezarem juntos neste momento de dificuldade para Jerusalém e toda a Terra Santa. As comunidades religiosas, responderam com grande participação.

O Papa Francisco também pediu a todos os sacerdotes e fiéis da Igreja Católica que se unissem espiritualmente em oração pela paz na Terra Santa.
Sobre o convite do Santo Padre – o Patriarca Latino de Jerusalém sublinhou – “hoje, toda a Igreja Católica se une nesta oração coral, à Igreja mãe de Jerusalém. Agradecemos ao Santo Padre por sua contínua atenção à nossa Igreja, à nossa Terra e aos povos que vivem aqui”.

“Unamo-nos, em primeiro lugar, na oração pelas famílias daqueles que foram mortos nos últimos dias, por aqueles que perderam as suas casas, ficaram sozinhos e sem qualquer referência para a propria vida. Oremos por nossa pequena comunidade cristã em Gaza, atordoada por esta enésima onda de guerra, mas também por todos os seus habitantes, por muitos anos humilhados, privados de liberdade, dignidade e direitos básicos”.

Jerusalém é o coração da revelação divina, a guardiã do desejo de comunhão entre Deus e o homem. Ela reúne em si todas as almas do mundo e por isso está aberta a todo o mundo.

S.B. Mons. PIERBATTISTA PIZZABALLA, ofm – Patriarca Latino de Jerusalém

Eu sabia que o nosso convite seria atendido, mas não esperava tantas pessoas; Estou feliz. É um sinal de que todos sentem a necessidade de orar ao Espírito pela paz aqui na Terra Santa. Devemos sempre recomeçar do mesmo ponto: aceitar a ideia de que somos uma parte do outro. Até aceitarmos que devemos viver juntos, esses ciclos de violência não cessarão. É o mesmo e antigo problema.

Pe. DAVID NEUHAUS, sj – Superior da comunidade Jesuíta da Terra Santa

Hoje, reuniram-se aqui, todos os diferentes ambientes nos quais os cristãos estão inseridos, uma fantástica realidade da nossa igreja. Temos cristãos que são árabes palestinos, temos paroquianos cristãos em Gaza, temos paróquias cristãs em todo o mundo árabe, aqui na Palestina e em Israel e depois, temos a presença de cristãos de expressão judaica, pequenas comunidades espalhadas em grandes cidades israelenses, cristãos que falam hebraico e que falam a linguagem do amor, do perdão, da reconciliação, de diálogo em hebraico.

Vigília de Pentecostes

Na noite de Sábado, no Convento São Salvador, em Jerusalém, foi realizada a Vigília de Pentecostes. Franciscanos, cristãos locais e religiosos se reuniram para clamar com cantos e orações: Vem Espírito Santo e traga a paz à Terra Santa e ao Mundo!

Na missa da Vigília foram lidos vários textos bíblicos intercalados com os cantos dos Salmos, momentos fortes de oração que teve o seu ponto alto na eucaristia.

Na Homilia desta Vigília, o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton afirmou: “estamos aqui para pedir ao Espírito que interceda por nós não apenas para acabar com a pandemia de Covid globalmente, mas também para acabar com a pandemia de violência e ódio, para parar o conflito que foi desencadeado de novo aqui há algumas semanas, para que acabe com o conflito na Síria, que se arrasta há mais de 10 anos, para que acabe o do Iémen, para que terminem os conflitos que continuam a sangrar a África, a Ásia, a América Latina e Europa Oriental”.

Fr. FRANCESCO PATTON,ofm – Custódio da Terra Santa

“O Pentecostes é sempre uma ocasião extraordinária para rezar pela paz em um sentido profundo, porque o Pentecostes é a reconciliação de diferentes línguas, culturas, diferentes povos. Pentecostes é o modelo elevado de paz. A paz como pura e simples ausência de conflito entre as pessoas, mas a paz como realização de uma comunhão que é um dom de Deus”.

A celebração da solenidade de Pentecostes continuou na igreja da Dormição dos Padres Beneditinos, a poucos metros do Cenáculo. A Santa Missa foi presidida por Sua Beatitude Dom Pierbattista Pizzaballa, Patriarca Latino de Jerusalém, juntamente com o Abade Pe. Bernard Maria Alter e um grupo de sacerdotes

S.B. Mons. PIERBATTISTA PIZZABALLA, ofm – Patriarca Latino de Jerusalém

O primeiro fruto do Espírito é a paz e nós, verdadeiramente devemos nos tornar filhos de Deus no Espírito Santo, para realizar o que ele deseja de cada um de nós.

Na sua homilia, o Patriarca de Jerusalém enumerou os dons do Espírito Santo identificando, entre outros, a unidade, a diversidade, a participação, a entrega de si, o amor e a paz. Sublinhou que estes são os frutos que hoje faltam na igreja, na sociedade e na política, especialmente em Jerusalém e pediu ao Espírito Santo que abra os olhos de todos, para ver a beleza que existe nas pessoas e reconhecer as belezas que constituem a sociedade local. Em seguida, convidou a sermos partidários da paz e construtores da unidade e da convivência.
Um apelo urgente à paz é a vocação da Igreja matriz, disse Dom Pizzaballa.

S.B. Mons. PIERBATTISTA PIZZABALLA, ofm – Patriarca Latino de Jerusalém

O Papa Francisco convidou toda a Igreja a se unir à da Terra Santa para rezar pela paz e pela justiça aqui em Jerusalém. É um sinal da proximidade do Papa Francisco com a nossa Igreja e com a nossa realidade, bem como um sinal do seu empenho em trabalharmos mutuamente pela paz na Terra Santa.

Pentecostes em Jerusalém

O fim de semana de Pentecostes em Jerusalém terminou no lugar por excelência: o Cenáculo. O reconhecimento do Cenáculo como lugar da descida do Espírito Santo e da Última Ceia é atestado desde os primeiros séculos do Cristianismo.

Na tarde do domingo de Pentecostes, os franciscanos da Terra Santa foram em peregrinação ao Santo Cenáculo e, para esta ocasião, os frades do Convento de São Salvador prepararam o ambiente para a celebração das segundas Vésperas.

Fr. FRANCESCO PATTON,ofm – Custódio da Terra Santa

A celebração das Vésperas, aqui no cenáculo, com o participação dos fiéis foi muito positiva. Aqui, no próprio lugar onde o Espírito Santo desceu sobre os Apóstolos como em línguas de fogo e os tornou capazes de se comunicar em diferentes idiomas, fazendo também com que todos os povos pertencentes a diferentes línguas e culturas fossem capazes de ouvir e compreender.

Em todas as celebrações deste fim de semana, o agradecimento ao Papa Francisco por sua proximidade e pelas palavras de apoio.

Fr. FRANCESCO PATTON,ofm – Custódio da Terra Santa

“Palavras que encorajam não só a caminhar para uma trégua, que foi alcançada, mas para um discurso de diálogo, reconciliação e paz”.

Na celebração das Vésperas, presidida por Fr. Francesco Patton, Custódio da Terra Santa, juntamente com o Vigário Custodial Fr. Dobromir Jazstal, a comunidade franciscana e os religiosos recitaram os salmos e proclamaram os textos bíblicos que narram o acontecimento de Pentecostes “in loco”, isto é, no próprio lugar onde aconteceu.

Quando o dia de Pentecostes chegou, todos estavam juntos no mesmo lugar. De repente houve um som do céu, como um vento forte e impetuoso, e encheu toda a casa onde eles estavam reunidos. Todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito lhes concedia para se expressarem. (Atos 2: 1-11).

Durante a liturgia, a sala superior do cenáculo foi incensada por duas vezes, lugar onde, segundo a tradição, o Espírito Santo desceu. Na reflexão do Custódio da Terra Santa, um apelo profundo:

Neste lugar e tempo, sinto que não devemos apenas refletir sobre o dom do Espírito Santo, mas sobretudo invocá-lo. Espírito do Senhor, é necessário que o teu vento sopre impetuoso novamente no nosso sofrido Oriente Médio e em todo o mundo, para que volte a cada um de nós o desejo de viver e de anunciar o Evangelho, para restaurar a esperança à humanidade desorientada. Precisamos que teu sopro percorra esta nossa terra sem cessar.

Fonte: Vatican News