Seja bem-vindo(a) ao Site Oficial do Santuário São Geraldo Majela         -         Itabira, Minas Gerais - 05 de agosto de 2021         -         Acesse nossas redes socais

Itabira, 05 de agosto de 2021

Semana da Unidade dos Cristãos, orações confiadas à comunidade de Grandchamp

22/12/2020 . Notícias da Igreja

Este ano, as irmãs da comunidade suíça, fundada na década de 1930, provenientes de diferentes países e tradições cristãs, serão responsáveis pelas reflexões que se realizarão de 18 a 25 de janeiro sobre o tema “Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos”. Há três pilares nos quais o material elaborado se baseia: oração, vida comunitária e hospitalidade.

Isabella Piro / Mariangela Jaguraba

A Comunidade monástica de Grandchamp, na Suíça, preparou o material para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, marcada de 18 a 25 de janeiro próximo. A notícia foi divulgada no site do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. O tema escolhido para o evento, extraído do Evangelho de João (15, 1-17), é “Permanecei no meu amor e produzireis muitos frutos” que “exprime a vocação à oração, à reconciliação e à unidade da Igreja e da humanidade que caracteriza a Comunidade de Grandchamp”.

Ouça e compartilhe:


A comunidade reúne “religiosas de diferentes tradições cristãs e de diferentes países”. Foi fundada na primeira metade do século XX. Nos anos da década de 1930, um grupo de mulheres da Reforma, oriundas da Suíça, conhecido como Damas de Morges, redescobriu a importância do silêncio na escuta da Palavra de Deus. Ao mesmo tempo, elas reviveram a prática de retiros espirituais para alimentar sua vida de fé, inspiradas no exemplo de Cristo que se retirava para rezar em lugares desertos. Elas foram seguidas por outras pessoas que participavam regularmente de retiros organizados em Grandchamp. Era, portanto, “necessária uma presença estável que oferecesse oração e acolhimento ao crescente número de hóspedes e pessoas que desejavam se retirar em oração”. Ao longo dos anos, a Comunidade de Grandchamp cultivou “fortes laços tanto com a Comunidade de Taizé quanto com o padre Paul Couturier, uma figura chave na história da Semana de Oração”. Hoje, em Grandchamp existem “cerca de cinquenta irmãs, comprometidas com a busca de itinerários de reconciliação entre os cristãos, dentro da família humana e no respeito de toda a criação”.

O encontro preparatório para a elaboração do material para a Semana de Oração realizou-se, em Grandchamp, de 15 a 18 de setembro de 2019. Participaram da Comissão Internacional o Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos e o Conselho Ecumênico de Igrejas. Posteriormente, a Comunidade monástica trabalhou durante vários meses na elaboração do primeiro texto, que serviu de base para o texto trabalhado pela Comissão Internacional. O tema da Semana de Oração, escolhido pelas irmãs, permitiu às religiosas de “compartilhar a experiência e a sabedoria de sua vida contemplativa, enxertada no amor do Senhor, e falar do fruto desta oração: uma comunhão mais profunda com seus irmãos e irmãs em Cristo, e uma maior solidariedade com toda a criação”.

Oração, vida comunitária e hospitalidade

O material elaborado se baseia em três pilares: oração, vida comunitária e hospitalidade. Eles são articulados como um apelo a “permanecer em Cristo” a fim de se aproximar dos outros e superar as divisões entre os cristãos. “Quando ouvimos Jesus, sua vida flui em nós. Ele nos convida a deixar sua Palavra habitar em nós e então qualquer pedido que fizermos será atendido”, ressalta. “Como pessoas, como comunidade, como Igreja, desejamos unir-nos a Cristo para cumprir seu mandamento de amar-nos uns aos outros como Ele nos amou.” Cientes de que “aproximar-se dos outros, viver em comunidade com outras pessoas, às vezes muito diferentes de nós, é um desafio”, as irmãs de Grandchamp puseram em prática o ensinamento do irmão Roger, fundador da Comunidade de Taizé: “Não há amizade sem sofrimento purificador, não há amor ao próximo sem a cruz”.

Recorda-se que as “divisões entre cristãos, seu afastamento um do outro é um escândalo porque também significa afastar-se de Deus ainda mais”. Certamente, “os esforços de reconciliação custam e exigem sacrifícios”, mas sempre “sustentados pela oração de Cristo que deseja que sejamos um, como Ele está com o Pai, para que o mundo creia”. Por fim, é lembrado que, como cristãos, “vivemos também numa criação que geme enquanto espera ser libertada”: permanecendo em Cristo, pode-se receber “a força e a sabedoria para agir contra estruturas de injustiça e opressão, para nos reconhecer plenamente como irmãos e irmãs em humanidade, e ser artífices de uma nova maneira de viver em respeito e comunhão com toda a Criação”. “Reza e trabalha para que Deus possa reinar” é a regra de vida que as irmãs de Grandchamp recitam juntas todos os dias: isto mostra que “oração e vida diária não são duas realidades separadas, mas são feitas para estarem juntas”.

Fonte: Vatican News